“Fazei de mim um instrumento de vossa paz!”

Usado na Páscoa, no Natal, nas Festas do Senhor, nas Festas de Nossa Senhora e dos Santos, exceto dos mártires. Simboliza alegria, ressurreição, vitória, pureza e alegria.

16/08/2018 - Ano: C
Cor Litúrgica: Branco (Saiba porque!)

Elzeário, nascido na França, conde de ariano dos Herpinos, casou a bem-aventurada Delfina de Glandèves, com quem, segundo se diz, viveu em perfeita virgindade. Entrou com a esposa na Ordem Terceira Franciscana, ilustrando-a com suas exímias virtudes. Partilhavam generosamente com os pobres suas abundantes riquezas, preocupados ao mesmo tempo com a vida de oração e das boas obras. Elzeário morreu em Paris, a 27 de Setembro de 1323, e Delfina, perto da cidade francesa de Apt, a 26 de Novembro de 1358, após quase sete lustros de piedosa viuvez.

ORAÇÃO - Ó Deus, que por Santo Elzeário e Bem-aventurada Delfina nos destes sublimes exemplos de virtude na vivência de um santo matrimônio, concedei que, venerando seus piedosos méritos neste mundo, possamos participar de sua feliz companhia nos céus. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.